Correias

Quando a correia quebra, as válvulas ficam “perdidas”, enquanto os pistões se mantêm em movimento por alguns instantes. O resultado é que, com o choque, as válvulas e os pistões podem se quebrar e causar danos graves ao motor.

A correia dentada deve ser checada quando completar 40.000 km. Conforme a condição poderá se prolongar sua troca para os 50.000 km. Após essa quilometragem, a correia perde sua eficiência e pode causar uma ruptura, que acarreta em diversos estragos ao motor.

Muitos proprietários de veículos têm receio da correia dentada do carro quebrar e danificar o motor. Realmente se a correia quebrar o motor pode sofrer sérias avarias e a conta do conserto passar de R$ 3.000,00! Isto ocorre porque é a correia a responsável pela sincronia das válvulas no interior do motor.

A quebra da correia faz com que as válvulas se movimentem sem sincronismo e empenam, fazendo o motor travar. O que muitos não sabem é que nem todos os carros usam correia dentada, muitos usam corrente de comando, que duram muito mais (100.000 km ou mais) e, ao contrário da correia, dá sinais claros quando precisa ser substituída. Todos os carros da Ford em linha atualmente no Brasil usam correntes e não correia. Honda e Toyota também adotam o uso da corrente.